Caraíbas FM - Caso Marielle: Ex-PM 'Orlando Curicica' deve prestar depoimento à polícia nesta quarta-feira
  • bannerfull
  • bannerfull

Caso Marielle: Ex-PM 'Orlando Curicica' deve prestar depoimento à polícia nesta quarta-feira

Ele é acusado pela Justiça e apontado pelo MP-RJ por envolvimento com milícia.

O ex-policial militar Orlando Oliveira, conhecido como Orlando Curicica e apontado como um dos suspeitos de envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, deve prestar depoimento à polícia nesta quarta-feira (16).

Numa entrevista coletiva junto com a mulher de Orlando de Oliveira, o advogado dele disse que ainda nesta quarta, policiais civis e representantes do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) vão até o presídio de Bangu 1, na Zona Oeste do Rio, ouvir o preso. Ele é acusado pela Justiça e apontado pelo MP-RJ por envolvimento com milícia. Além de Orlando, o vereador Marcelo Siciliano também foi apontado por delator como sendo um dos mandantes do crime.

Segundo o advogado, Orlando sofreu uma tentativa de envenenamento dentro da cadeia e que por isso pediu a transferência dele para outro presídio. No início desta semana, a Justiça determinou que ele seja levado para um presídio de segurança máxima.

Em reportagem publicada pelo jornal O Globo, um delator contou a agentes da Delegacia de Homicídios que o homem seria um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco, há dois meses.

Na decisão divulgada nesta segunda, o juiz da 5ª Vara Criminal da Capital também autorizou que o preso permaneça provisoriamente em Bangu 1 até ser transferido para uma penitenciária de segurança máxima.

O magistrado definiu que caberá ao Departamento Penitenciário Nacional (Depen) indicar para qual presídio federal Orlando será transferido.

No pedido, o Ministério Público alegou que a transferência "é de grande relevância para o interesse da segurança pública, visando inibir a atuação do preso em referência e de coibir eventuais associações criminosas".

Ao G1, o advogado de Orlando chamou de "absurda" a transferência de seu cliente. "Foi feita na calada da noite para cercear a defesa e calar o meu cliente. Vou recorrer", criticou Renato Darlan.

Comentários

Praça Mário Dourado, 78
Centro - Irecê-Ba
Cep: 44900-000
netools comunicação digital
Caraíbas FM - Todos os direitos reservados © - 2018